TEXTO
CURATORIAL

José Maia

Ágora _ Bienal de Arte Contemporânea da Maia 2021 reúne em torno da noção grega de ágora propostas de 72 criadores e coletivos artísticos de diferentes gerações, geografias, áreas e práticas artísticas, sublinhando a emergência do florescimento de lugares de comunhão na urbe e no imaginário transcultural.
    As obras apresentadas convocam a História, a memória, a documentação, o arquivo e a identidade, e exploram as relações entre arte e comunidade, arte e ativismo, arte e trabalho, arte e investigação, arte e educação. Nestas novas e desafiantes representações simbólicas e experiências estéticas da segunda e início da terceira décadas do nosso século adiantam-se possibilidades de paisagens e imagens que nos permitem entrever o encontro da cidade com as suas comunidades, idear a partilha do bem comum e do espaço público, testemunhar novas direções culturais e políticas, num compromisso de atuação, no presente, com o futuro.

Como no passado, a praça principal da cidade da Maia constitui o centro político, social e cultural, o fórum na Roma antiga, equivalente à ágora grega.
    O fórum, praça pública onde se realizavam os atos mais importantes da vida do povo romano, local destinado à discussão pública, troca de bens e serviços, negócios e vida comunitária em geral, centro de diversas atividades culturais, baseado na noção de liberdade de expressão, constitui a referência principal para o projeto curatorial da Bienal de Arte Contemporânea da Maia 2021.
    Mas todo o território da Maia, o país, as paisagens, o ambiente, a história, a cultura, a sociedade, a religião e uma visão do futuro estarão inscritos nas imagens, nos gestos, nos sons, nas palavras que compõem as diversas obras concebidas pelos criadores que integram o programa da Bienal.

Ágora _ Bienal de Arte Contemporânea da Maia 2021 apresenta uma heterogeneidade de eventos que vão da exposição às intervenções no espaço público, da mostra de performances, concertos, conversas, debates em torno da arte que terão lugar no objeto arquitetónico instalado no jardim central da cidade, à mostra de vídeo online. As criações multidisciplinares, fluídas e híbridas, intersetam áreas artísticas tão diversas quanto as artes plásticas, a fotografia, o cinema, o vídeo, a performance, o som, a música e a arquitetura. O programa contará com uma exposição coletiva de arte contemporânea no Fórum da Maia, projetos site-specific concebidos para os espaços exteriores e intervenções em mupis e outdoors nas ruas da Maia.

No dia da inauguração, 11 de setembro, e no último sábado, 16 de outubro, serão apresentados performances e concertos no Jardim Parque Central e no grande auditório do Fórum.
    O objeto arquitetónico, edificado com grades de cerveja e madeira pelo coletivo de artistas-arquitetos Ponto Parágrafo em colaboração com a população local, constitui o centro artístico e comunitário da Bienal, onde, paralelamente às exposições, poderemos experienciar intervenções artísticas temporárias, ouvir a rádio da Bienal concebida por Rodrigo Paglieri, ler o jornal de parede e arquivo da Bienal de Luís Sousa Teixeira, conversar e assistir a debates com artistas e investigadores como Eduarda Neves, João Sousa Cardoso, Nuno Ramalho, assistir a concertos de O Gringo Sou Eu, de João Ricardo e Pindorama POPi, performances de duplas de artistas como Sara Rodrigues e Rodrigo Camacho, ou vivenciar as performances-jantar de Rebecca Moradalizadeh e do Café CCOP.

Assumindo-se como uma extensão da Bienal, pelas noções de partilha, democracia e sociedade enquanto premissas para a criação e para o pensamento da nossa contemporaneidade que adota, o Serviço Educativo da Ágora da Maia celebra também a heterogeneidade dos públicos que nos visitam, apresentando um leque de atividades que pretende envolver todos e todas, potenciando o sentido de comunidade, de partilha e de construção em conjunto. As atividades desenvolvidas, que abordarão as diversas matérias e preocupações presentes nas exposições e mostras artísticas, serão conduzidas pelo coletivo de arte-educadoras ARiSCA.

Na web, o fórum romano deu nome ao espaço virtual de reunião, espaço de discussão temática entre especialistas, espaço de possibilidade de expressão e troca de opiniões entre pessoas de zonas geográficas diferentes, ligadas pelas mesmas questões e assuntos de interesse comum.
    O serviço online, aberto à participação e à partilha de conteúdos, complementam, hoje, os fóruns das cidades e permitem ampliar no campo da arte a área de intervenção, intensificar a prática artística, proporcionar a formação e fomentar a partilha.
    Durante os períodos de confinamento social, a necessidade de nos relacionarmos com imagens sensíveis, com imagens estéticas, intensificou-se. A visita online a exposições em museus e galerias, as conversas com artistas, as visitas a ateliers e a enorme e imprevisível procura de criações no campo da videoarte, levou a que muitos artistas, galerias e instituições partilhassem o seu espólio de vídeo e os seus arquivos.
    Na Ágora _ Bienal de Arte Contemporânea da Maia 2021 experienciaremos a partilha e difusão de imagens-pensamento mediadoras de múltiplas realidades e a ágora expandir-se-á às diversas plataformas sociais da web, como o Instagram, o Facebook, o YouTube e o sítio web da Bienal, à rádio online, à televisão, numa parceria com o Canal 180, e a duas publicações da cidade da Maia. Entre setembro e outubro, em datas definidas e à mesma hora pela manhã, a Bienal fará ainda chegar criações digitais à caixa de e-mail de quem se inscrever para o efeito.

Na última semana, será lançada uma publicação que, com o arquivo online, constituirá a memória da Bienal de Arte Contemporânea da Maia 2021 e a prolongará no tempo.

A cidade partilhará imagens, sons e gestos que nos permitirão empreender múltiplas viagens, pensar e sonhar o mundo com distintas comunidades de afetos.


Curador José Maia
Produção Felícia Teixeira
Designer Luís Sousa Teixeira
Comunicação João Brojo, Marco Freire, Hugo Adelino e João Parra
Coordenação editorial Gisela Leal
Arte Educadora Inês Soares – Coletivo ARiSCA
Assistente de Curadoria Filipa Valente
Equipa de montagem Hugo Castro, Valter Maior, Pedro Serrano
Assistentes dos artistas Marta Oliveira, Mariana Couto, Inês Ribeiro, Sofia Jesus, Viviana Barros, Mafalda Martins, Pedro Tavares

HORÁRIOS
Terça-feira a domingo das 10h00 às 22h00


MORADA 
Fórum da Maia, Rua Eng.º Duarte Pacheco
4470-174 Maia


Promotor Câmara Municipal da Maia,
Pelouro da Cultura
Vereador do Pelouro da Cultura Mário Nuno Neves
Chefe da Divisão da Cultura Sofia Barreiros
Serviço de assessoria e gestão de espaços Conceição Couto, Carla Araújo
Serviço Educativo Ana Pereira, Dora Couto
Comunicação Adriano Freire
Apoio montagens Eugénio Resende, José Martins, José Pereira, Rui Pinto
Apoio luz e som Nuno Marinho, Rui Sobral, Vasco Ferreira


Parceiros